sábado, 5 de março de 2016

Dardo de ouro

Recebi a seguinte missiva:



Dardo de ouro, o triplo C, competência, conhecimentos, concretizações


Assunto: Dívida no valor de 500€ à sociedade Sorrisos, unipessoal


Exmo Sr

Recebemos a informação da Sorrisos unipessoal que se encontra por liquidar, estando vencida, a quantia de euros 500.

Como V.Exa sabe, esta sociedade dedica-se a vender sorrisos nas viagens de metropolitano, nomeadamente através da distribuição de sorrisos durante as horas de ponta, de modo a contribuir para bons ambientes de trabalho e consequente aumento da competitividade e produtividade do país, competindo aos passageiros que os recebem devolvê-los.

Ora, não tendo VExa devolvido nenhum sorriso aos funcionários da empresa durante as viagens que realizou no período entre 2011 e 2015, correspondente à vigência do XIX governo, incorrendo assim em dívida por cada sorriso não devolvido, e não tendo nós conhecimento de nenhum motivo válido para o atraso verificado na respetiva liquidação, agradecemos que nos envie o pagamento de acordo com as indicações abaixo mencionadas (entidade, referência multibanco, montante).

Caso necessite de algum esclarecimento adicioinal, não hesite em contactar-nos, pois a razão da nossa existência é a satisfação não só dos nossos clientes credores, mas também dos seus devedores.
É timbre da nossa sociedade, com origem na Inglaterra mas já espalhada por muitos países da Europa, especialmente naqueles que instituiram sistemas de perdão fiscal para grandes montantes,  encontrar soluções que permitam aos devedores negociar as suas dívidas. No caso vertente, por exemplo, é nítida a vantagem para os devedores, considerando que a dívida por não devolução dos sorrisos ascendeu a cerca de 250€, incluindo juros de mora, constituindo os restantes 250€ a nossa comissão.
Acresce que, graças à nossa experiência, podemos aportar valor sob a forma de aconselhamento à negociação das dívidas num contexto macroeconómico e regulatório em que saberemos valorizar clientes e devedores.

Certos de contar com a vossa compreensão, apresentamos os melhores cumprimentos

Atenciosamente

Maria Luisa, Dardo de ouro, gestão e cobrança amigável de dívidas


PS - No DN de hoje, o seu diretor, André Macedo, a propósito da cessação unilateral dos contratos swap de empresas de transporte em 2013 por decisão da então ministra das finanças , afirma que foi mais um exemplo da sua impreparação (podem sempre renegociar-e os contratos, mas nestes casos de contratos swap, tão retorcidos na sua reação ao desce e sobe das taxas de juro e com uma vigência até 2027, não poderia renegociar-se uma espera menos penalisadora para ver se as taxas de juro sempre sobem ou não? é tudo tão virtual, menos os milhões de euros que t~em de se pagar aos especuladores...).
Mais uma vez discordo, no seguimento do já aqui escrito neste blogue, do diretor do DN. A senhora ex-ministra era exímia em acumular dinheiro pedido emprestado a taxas inferiores às das dívidas anteriores (isto é, contraía dívidas para pagar dívidas), como qualquer um de nós faz quando está falido. Mas não era impreparação, apesar da ignorância de como funciona a indústria, era auto-convencimento, a certeza no seu foro íntimo de que estava a salvar o país (psicose definida como hipomania, de que padecem os profetas com o exclusivo da revelação) e, portanto, o que outros apontavam estava sempre errado, e que a sua conceção e perceção se deveria sempre sobrepor à realidade. Daí o ar surpreso com que responde às críticas.
Mas enfim, votos de sucessos pessoais e profissionais na Dardo de ouro, desde que não prejudique terceiros.


Sem comentários:

Publicar um comentário