sábado, 17 de março de 2018

Audição do presidente do metropolitano de Lisboa no Parlamento

Notícia no DN:
https://www.dn.pt/portugal/interior/administracao-do-metro-de-lisboa-diz-que-a--linha-circular-e-a-melhor-solucao-9184477.html

Comentário:

Infelizmente, a administração do metro não muda de opinião nem de argumentação, nem o governo. A administração e o governo têm pareceres técnicos que, desde 2009 (agosto, véspera de eleições) quando foi apresentado este plano de expansão (que contrariava o anterior e mais coerente  plano de expansão) criticam fortemente esta linha circular (não é por ser circular, é por ter estas carateristicas geométricas; em 2002 o metro propôs uma linha circular externa à superficie, de Algés  a Loures e Sacavem, que foi chumbada).
Contra a linha circular do governo, fundamentalmente razões de operacionalidade e fiabilidade: qualquer perturbação perturba toda a linha sem tanta capacidade de regulação como as linhas normais com términos (o plano tenta minimizar este inconveniente com o aproveitamento parcial do atual término de Cais do Sodré); quanficando, com base no histórico de avarias, a probabilidade de avaria na linha circular será de 1 em 2,5 dias, e a probabilidade de avaria simultaneamente nas atuais duas linhas , verde e amarela é de 1 em 25 dias.  Diz o sr presidente que estudos realizados dizem que... mas, apesar de pedida a sua divulgação, ela não foi feita.Ora, desde o fim da idade média se sabe que o "magister dixit" não é o melhor método. Também diz que S.Sebastião-Alcantara custaria 270 milhões. Sim, se a construção fosse subterrânea, o que por razões energéticas é um erro devido aos desníveis. O que se passa ´é que as intenções imobiliárias para Alcantara não gostam da ideia de construir em viaduto, que é mais barato, ainda por cima em zona de aluvião e aterro e na proximidade do caneiro (o que aliás justifica a não construção da ligação enterrada entre a linha de Cascais e a de cintura, para além da saturação desta se devidamente utilizadas as linhas de Sintra, ponte 25 de abril, Alcantara-Terra e Azambuja).
É ainda um desgosto ouvir esta argumentação: vamos pôr no viaduto de Campo Grande um aparelho de via (bifurcação) que permitirá ligar a linha de Odivelas ao Rato. Se se verificar que a linha circular não funciona, voltaremos ao esquema atual. Isto depois de se partir os viadutos de tabuleiro pré-esforçado para ligar Campo Grande, linha amarela, a Telheiras, e linha verde, ao túnel da Cidade Universitária. Mas enfim, estes senhores interpretam o voto democrático que receberam como uma infusão divina de infalibilidade. Bossuet dizia o mesmo dos reis absolutos. Como dizem os brasileiros ainda não baratinados pelos vandalos armados à solta, "evoé".

Sem comentários:

Publicar um comentário