segunda-feira, 19 de março de 2012

Cenas de vida quotidiana em Lisboa

Armazens junto do Tejo e da zona de discotecas noturnas.
Os volumes visiveis escondem homens que se preparam para dormir com o por do sol.


Caixotes do lixo junto de uma praça na baixa de Lisboa.
Os empregados do restaurante deixam os restos de comida em sacos de plástico.
Este homem usa luvas de borracha para retirar a comida e se alimentar.
Mesmo que o país fosse rico (nos países ricos também há sem abrigo), a indignidade desta situação devia levar os senhores decisores a não acreditar que a iniciativa privada resolve estes problemas.
O filme Margin Call diz que os grandes financeiros são humanos, como as outras pessoas.
Mas não interpretam esta fotografia da mesma forma que eu.
Primeiro, porque não acreditam que a prioridade devia ser o emprego.
Depois, porque não aceitam que a incapacidade física ou psíquica que muitos têm de produzir tem de ser paga pelo resto da comunidade.

Sem comentários:

Publicar um comentário