segunda-feira, 26 de março de 2012

Um silogismo num congresso partidário

A primeira frase do silogismo seguinte foi retirada do relato de um congresso do partido no governo e a sua correspondência com a realidade não parece levantar dúvidas.
As frases intermédias são retiradas do dicionário da  língua portuguesa e são coerentes com os étimos.
A conclusão é a de um silogismo como outro qualquer, dependente das premissas, que não ponho em causa e de que não sou responsável.


"Os números do desemprego ... ultrapassam muito as previsões" (do governo).
Imprevidência é a falta ou ausencia de previsão .
Imprevidente é aquele que ou quem falha previsões; é o antónimo de previdente, aquele que ou quem  faz previsões, que se previne, que toma medidas antecipadas para evitar transtornos, que é precavido, que pensa no futuro.
Logo, se o governo falhou previsões, o governo é imprevidente.
(mesma conclusão aplicável a quem prevê aumento de receita fiscal de 12% e ela diminui 1%).

Com tanta gente preocupada com o novo acordo ortográfico, mais valia preocuparem-se com o significado das palavras, como quer que sejam escritas.

Sem comentários:

Publicar um comentário