sexta-feira, 13 de setembro de 2019

Taxas aéreas e maritimas

Segundo informações da UE, encara.se a supressão das isenções de taxas aéreas e do setor maritimo, conforme a politica de descarbonização:

https://www.euractiv.com/section/transport/news/eu-eyes-end-of-energy-tax-waivers-for-air-and-sea-transport-sectors/

Aguardemos então as próximas ações da nova comissária de transportes e dos seus colaboradores, na expetativa de desenvolvimento das redes transeuropeias, nomeadamente as redes ferroviárias, de modo a beneficiarmos de maior eficciencia energética no transporte de mercadorias e de passageiros.
Neste tema, é interessante recordar a participação dos caminhos de ferro italianos na Alitalia, de modo a substituir as ligações áereas de curto curso por ligações de alta velocidade.
Sabemos que em Portugal não se quererá beliscar o quase monopólio da TAP nas ligações Lisboa-Porto, mas como diz  presidente da ADFERSIT, a alta velocidade em Portugal, é fatal como o destino. Poderá ser tóxica para o senhor primeiro ministro, ou ainda para o ministro das infraestruturas um fetiche se em bitola UIC, mas será fatal.
No campo rodoviário, conviria as entidades intervenientes prepararem-se para eventuais taxas de passagem que irão  encarecer o transporte de mercadorias e estudarem desde já a solução das autopistas ferroviárias, transporte de camiões, caixas móveis ou reboques por caminho de ferro:

https://www.iies.es/single-post/2019/02/27/20022019Las-Autopistas-Ferroviarias-en-la-Pen%C3%ADnsula-Ib%C3%A9rica

Sem comentários:

Publicar um comentário