sábado, 3 de abril de 2010

Economicómio XLVI – os implantes mamários

O caso dos implantes que rebentam é grave, até porque muitos implantes são feitos na sequencia de mastectomias.
Mas aqui só queria chamar a atenção para duas questões económicas:
1 – o critério do menor preço não devia continuar a ser seguido nas compras públicas; neste caso comprovou-se a menor qualidade associada ao menor preço;
2 – em entrevista descontraída, um senhor cirurgião estimou:
- cada intervenção que faz, em 6.000 euros
- o custo dos dispositivos em 900 euros
- o número de intervenções por mês em 10
Poderá assim estimar-se, admitindo que as despesas com a sala de operações e com o restante pessoal sejam de 50%, que os honorários do senhor cirurgião são, antes de impostos, cerca de (6.000-900) x 0,5 x 10 = 25.100 euros por mês.
E com impostos, 15.000 euros por mês.
Com o devido respeito pelas capacidades de cada um, que não são todas iguais, não me parece que as ideias de Adam Smith sobre o interesse egoísta a beneficiar a comunidade estejam muito certas.
Antes confesso o meu maior respeito pelo descobridor da vacina contra a poliomielite, Jonas Edward Salk (“a quem pertence a minha vacina? ao povo; não pode patentear-se o sol”; ver em http://en.wikipedia.org/wiki/Jonas_Salk ) . Nunca reivindicou patente que fosse. Chegava ao fim do mês e recebia o seu salário no laboratório da universidade de Pittsburg, onde trabalhava. E passava-se isso nos USA, o país das oportunidades.
Os médicos também não são todos iguais.

Sem comentários:

Publicar um comentário