sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Triunfo, a competitividade que nos querem vender

A coincidencia será apenas no nome, visto que o motivo é o mesmo nos dois casos, a decisão de acionistas que naturalmente sobrepõem os seus interesses aos dos seus empregados e aos do nosso país, contrariando a utopia de Adam Smith (o interesse egoista do empresário respone às necessidades do cidadão...).

A fábrica de bolachas Triunfo em Sintra fechou. É o triste fim de mais um episódio das privatizações de anteriores participações do Estado no IPE:
http://www.publico.pt/economia/noticia/antiga-fabrica-das-bolachas-triunfo-encerra-e-deixa-perto-de-100-sem-emprego-1713118

A fábrica de confeções texteis Triunfo Internacional vai fechar.
;

As multinacionais preferem a competitividade através de custos cada vez mais baixos de pessoal, incluindo, no caso das bolachas, menores custos de produção marginal por aumento da dimensão.
Isto só é possivel graças à inexistencia de penalização do transporte de longa distancia.
E a impunidade de quem pratica dumping.
Em qualquer dos casos, é de assinalar comoo estas empresas escapam a impostos punitivos.

Sem comentários:

Publicar um comentário