sábado, 25 de dezembro de 2010

Capital offense de Michael Hirsh

Com a devida vénia à revista Sábado e ao seu crítico Fernando Sobral, cito a informação deste sobre "Capital offense - How Washington's Wise Men Turned America's Future Over to Wall Street" , de Michael Hirsh, livro vendido através da Amazon por 13,59 dólares mais despesas de expedição. Ver entrevista os autor em:

http://www.amazon.com/Capital-Offense-Washingtons-Turned-Americas/dp/0470520671/ref=sr_1_1?s=books&ie=UTF8&qid=1285134864&sr=1-1

O autor não é membro de nenhum partido de esquerda português, nem é bloguista petulante ou achista, foi editor senior da Newsweek e é atualmente jornalista do National Journal.
O autor defende que, desde o reaganismo (no tempo do petróleo barato e abundante mesmo o de origem norte-americana) as ideias de Milton Friedman e de Alan Greenspan sobre o funcionamento dos mercados sem regulação e com taxas de juro demasiado baixas conduziram à crise de 2008 e, não obstante a experiencia positiva das ideias de Keynes (favoráveis ao investimento público e à criação de empregos) a seguir à depressão de 1929, verifica-se atualmente que são as mesmas ideias de Friedman e de Greenspan que continuam a dominar.
Pessoas que aplicaram essas ideias antes da crise de 2008 estão agora na administração Obama, como Lawrence Summers e Tim Geithner.
Isto é, os grupos de poder e os seus teóricos não alteraram as suas políticas de supremacia do poder económico sobre o poder político.
Passa-se isto nos USA, onde nas recentes eleições  os eleitores pareceram confirmar isso mesmo.
Dir-se-ia que a ciência não faz parte desta equação, nos USA e na EU, parafraseando o professor Carvalho Rodrigues.
Depois não se admirem que Michael Moore faça os filmes que faz.

Entretanto, há outro livro de Michael Hirsh à venda na Amazon, "At War with Ourselves -Why America Is Squandering Its Chance to Build a Better World":

http://www.oup.com/us/catalog/general/subject/Politics/AmericanPolitics/UrbanPolitics/~~/dmlldz11c2EmY2k9OTc4MDE5NTE3NjAyNQ==

Sem comentários:

Publicar um comentário