domingo, 5 de dezembro de 2010

Livro de Jeremias, 40, versiculos 2 - 5

Com a devida vénia ao DN, comento a informação não confirmada de que a senhora Angela Merkel teria dito, num circulo restrito mas que não se considera obrigado a guardar segredos destes, que, "se o clube do euro é isto, então o melhor é a Alemanha saltar".
Não é uma revelação do Wikileaks, é um rumor, mas se não é verdadeiro, é plausivel, considerando outros ditos da autora da frase, como aquele de obrigar a "aceitar os valores cristãos e germânicos" (em princípio, o tal clube europeu é laico).
E,  por estranha associação de ideias, tropeço numa citação do livro de Jeremias, 40.
O comandante alemão, perdão, o comandante do exército babilónio, Nebuzaradan, general de Nabucodonosor (séc.VI A.C.), que tinha tomado Jerusalem e se preparava para levar deportados para Babilónia a elite judaica e Jeremias (profeta segundo a Bíbia, e, segundo outros, chefe da fação política dos proprietários de terras, conciliadora com as ameaças militares vizinhas egipcia e babilónia, às quais pretendia comprar a paz com a riqueza obtida com a produção agrícola, por oposição aos gastos sumptuários dos reis de Judá e das classes mais favorecidas, em plena crise financeira) voltou-se para Jeremias e disse-lhe:
"Vou soltar-te, e deixar-te ir em liberdade. Se quiseres vir comigo para Babilónia, muito bem; farei com que sejas tratado de forma a nada te faltar; no entanto, se não quiseres vir, não venhas. Tens toda a terra diante de ti; vai para onde bem entenderes. Se decidires ficar, volta para Gedalias, que foi nomeado governador de Judá por Nabucodonosor, e fica em Jerusalem com o resto do povo que ele governa. Portanto, quanto a ti o assunto está arrumado; vai para onde quiseres. Então Nebuzaradan deu-lhe algum alimento e dinheiro, deixando-o partir em liberdade. E Jeremias ficou em Jerusalem." (versiculos 2 - 5).

Fascinante, como na altura já havia o conceito de áreas regionais com especificidades bem caracterizadas, mas unificadas em torno de um poder central, neste caso Babilónia. E como Jeremias e o seu secretário particular Baruc registaram estes movimentos políticos e económicos, e como a sua documentação chegou até nós, com a natureza dos interesses de classe dos intervenientes tão bem definida...E como Nebuzaradan é tão claro: "se não quiseres vir, não venhas".

Sem comentários:

Publicar um comentário