quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

O Largo do Malvar





O largo do Malvar fica em Carnide.
Vejam o aspecto do largo e reparem no obelisco bonito que decora a fonte.
O pavimento é de basalto escuro, como convem a uma região vulcânica.
Provavelmente retirado da pedreira central da serra de Monsanto.
Reparem nos dizeres no bojo do pedestal: Câmara Municipal de Belem 1857.
Belem era um município. Fundiu-se com, o de Lisboa. Estiveram certos.
O CEO da Mota Engil, antes de ser CEO da Mota Engil, advogou a fusão de municípios.
Estava certo.
Sabemos que os defensores do caciquismo não gostariam, e os detentores da ciência autárquica vêm dizer que com autoridades metropolitanas resolvem o assunto.
Não resolvem.
Influenciado pelas palavras do presidente da república, penso que isso tem um nome: incompetência.
Não fazem ideia do que é organizar o território.
É uma pena, porque já há no país quem saiba.
Pensei nisso quando recebi um anuncio de um curso de mestrado numa universidade sobre “Metropolização e sustentabilidade”. (é sabido que existe uma correlação inversa entre o crescimento ordenado de uma aglomeração e a emissão de CO2 per capita)
É assim que se começa.

Sem comentários:

Publicar um comentário