domingo, 22 de julho de 2012

José Hermano Saraiva

A Antena 2 homenageou José Hermano Saraiva retransmitindo a sua entrevista no programa 5ª essencia de 2004.
As suas ideias eram de fato muito interessantes.
Por exemplo, relativamente á publicação dos Lusiadas, atribui a permissividade da censura à oposição que o partido do cardeal D.Henrique, que dominava  a mesa censória,  fazia ao partido de D.Sebastião (não seriam grandes cabeças as luminárias do partido de D.Henrique, mas sabe-se o mal que fizeram ao país a clique, ou o gangue do partido de D.Sebastião).
Sobre a Înquisição, afirmou que provocou o vazio do pensamento português no século XVII, e que essa castração contribuiu em muito para as dificuldades da cultura portuguesa ao longo dos séculos, numa altura (século XVII) em que a Europa estruturava as bases do seu pensamento científico.
Sobre a Educação, que as medidas que um ministro toma só mostrarão os seus resultados 30 anos depois (parece-me exagero; julgo que o período será de 5 anos, ou uma geração de jovens; isto é, será possivel estudar uma correlação entre o insucesso escolar e o crescimento da criminalidade juvenil com uma desfasagem de 5 anos), mas esta afirmação serve para justificar o desinteresse dos governos pela Educação e pela Cultura; como dizia Hermano Saraiva, já no tempo em que foi ministro se dava mais importancia à iluminação dos estádios de futebol do que à racionalização dos programas de História.
De salientar, finalmente, as qualidades humanas, especialmetne a tolerancia, que levou Hermano Saraiva a protestar, por exemplo, contra a suspensão do programa de Herman José por motivos de fudamentalismo religioso.
É um bom exemplo para a sociedade portuguesa, para que a sua sociedade civil saiba organizar-se e saiba tomar decisões, recuperando o tempo perdido desde o século XVII no desenvlvimento das capacidades do seu pensamento, recolhendo e processando dados, fundamentando as propostas com cálculos, introduzindo a ciência na equação (como diz o professor Carvalho Rodrigues), deixando de privilegiar o entretenimento tolo das discussões balofas e superficiais.
Mesmo que se acrescente alguma imaginação ou colorido aos factos, como Hermano Saraiva tão bem sabia fazer.

Sem comentários:

Publicar um comentário