sábado, 26 de janeiro de 2013

A semiótica do jarrão




O jarrão foi eletrificado e ocupa o lugar central da imagem.
Se bem interpreto os sinais, a luz inundou a cerimónia de entrega das conclusões do encontro à porta fechada sobre  a reforma do Estado.
O ar feliz do senhor primeiro ministro e o ar de missão cumprida da senhora encarregada da missão indiciam que mais uma vez a comunidade portuguesa mostra as grandes dificuldades que tem nos processos de análise e tomada de decisões participadas.
Mais uma vez recordo o livro “A sabedoria das multidões” de James Surowiecki, que analisa as falhas de processos como este e os métodos com as soluções.
Pena a senhora não ter lido o livro.
Leia, leia.

Sem comentários:

Publicar um comentário