sábado, 23 de outubro de 2010

Ai flores de laranjeira

Parafraseando o trovador,

Ai flores de laranjeira, ai flores de laranjeira,
ai Deus,
onde estão?
se sabedes novas das laranjeiras
da Praça de Alvalade


Passados já uns meses depois da conclusão das obras à superfície, sobre a estação de metropolitano de Alvalade, eis a confirmação do que se disse quando arrancaram as laranjeiras.
As laranjeiras tinham expressão apesar do seu pequeno porte e da amplidão da praça.
Os jacarandás não sombreiam coisa nenhuma os peões que atravessam, porque estão recolhidos junto dos prédios mais altos.
As laranjeiras tapavam a vista , já  tapada pela estátua e pelas árvores de grande porte da avenida, da fachada da igreja de S.João de Brito, no cimo da avenida.
E por fazerem uma coisa que já estava feita, foram extraidas de onde estavam.
Contra a vontade dos moradores do bairro que se pronunciaram sobre o assunto.
A fotografia mostra um dos locais onde estavam.
Vê-se lá, agora, um plano tumular.
Não tem importancia, esta história, quando comparada com as tragédias nacionais, mas é muito importante que se critique a prepotencia.
A todos os níveis.
Muito.
http://fcsseratostenes.blogspot.com/2010/03/as-laranjeiras-da-praca-de-alvalade.html

Sem comentários:

Publicar um comentário