quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

O rapto de Europa

Com a devida vénia ao DN, que comemorou o seu aniversário com a encomenda a Nadir Afonso de um Rapto da Europa.
Este blogue já tratou o tema, a propósito da desgraça da -grécia:

http://fcsseratostenes.blogspot.com/2010/10/traduzido-do-grego-o-rapto-de-europa.html

Para este blogue, o quadro de Nadir Afonso é muito bonito.
Gosta muito mais do que a intervenção na estação Restauradores, mas é apenas uma impressão subjetiva.
Diz Nadir Afonso que tem esperança de que Europa se salve do touro.
Mas o touro é Zeus, touro branco, pobre enamorado de Europa, a quem Europa tambem amou.
Como se vê na interpretação de Matisse, e no fresco romano.
Em que se respira paz e intimidade.
Não, não creio que o problema esteja em Zeus.
Melhor compreender os fenómenos e não deixar que deitem as culpas para o pobre Zeus.
Vejam antes quem toma conta das arcas do dinheiro.
Aprendamos com os antigos gregos.
Foi por causa de más contas com a arca da federação de Delos (pronuncia-se Dilos) que eclodiu a guerra do Peloponeso.


Nadir Afonso

Fresco romano

Matisse

Sem comentários:

Publicar um comentário