segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Greed kills

OCCUPY WALL STREET  -  Parece um filme de Clint Eastwood; imagina-se o policia a perguntar "What did you say?" Passou-se em 2 de outubro de 2011 na ponte de Brooklyn, como manifestação de protesto contra o controle dos politicos por Wall Street, quando devia ser o contrário, que os politicos são eleitos e Obama até disse que não tinha sido eleito para fazer a vontade dos senhores de Wall Street. 700 pessoas presas e depois libertadas; parecia também Luanda... (nota, à atenção do senhor mayor de New York - pela fotografia, parece ainda que a ponte está a necessitar de manutenção anti-corrosão, mas pode ser efeito de distorção)
É interessante seguir as manifestações em Wall Street contra a ganancia (greed) dos financeiros especuladores.  A palavra de ordem é "Greed kills", a ganancia mata.
Mata empregos, mata a esperança no bem estar, e faz sofrer os próprios financeiros, a avaliar pelas suas palavras queixando-se tambem da crise e da desvalorização de ações.
Faço a analogia com a colonização dos citrinos pelas cochonilhas.
Se não se intervier, elas vão-se alimentando da árvore até ela secar, e com ela morrem as cochonilhas se não tiverem outro citrino ao lado para explorar.

Julgo que era por exemplos como este que o próprio Adam Smith não acreditava no dogma de que o interesse egoista contribui para o bem comum.
Mas com o tempo, os ideólogos foram vendendo a ideia, e assiste-se ao seu triunfo em eleições. Vêem-se depois no governo a taxar preferencialmente os rendimentos do trabalho em favor dos rendimentos do capital e a cortar na despesa pública como principal  medida recessiva.
Citação de Maatma Gandi: "A terra pode providenciar tudo o que os homens precisam, mas não tudo o que os gananciosos querem".
 Interessante de ler, depois da entrevista daquele corretor de Londres que brilhou por um dia nas agencias noticiosas dizendo que a sua esperança é a crise ser durável porque aumenta os seus lucros com as vendas das ações desvalorizadas (fisicamente não é possivel haver sempre crise, tem de haver uma altura em que o crescimento retoma, e nisso os cortes recessivos contribuem para que o PIB diminua tanto, que qualquer atividade possa aumentá-lo).
Mas não se pense que estou a propor os mesmos tratamentos que os agricultores adotam contra a cochonilha (método natural: estimular o crescimento da população de joaninhas, predadores naturais da cochonilha; método químico: inseticidas organofosfatados)

Sem comentários:

Publicar um comentário